Skip to main content
bitcoin

Como Viver de Bitcoin sendo um Trader Digital

Viver de trading de bitcoin e altcoins é um objetivo de muitas pessoas. Poder trabalhar em casa, sem horário fixo, sem enfrentar congestionamentos e sendo recompensado por seus esforços e estratégias.

3 características iniciais importantes

Muitas pessoas perguntam sobre o que é necessário para se tornar Trader de Bitcoin. São basicamente, três características:

1º) Conhecimento técnico: Pois, o trabalho do trader, é basicamente, comprar bitcoins ou altcoins por preços maiores. Mas, como saber quando as moedas compradas irão valorizar? Ou quando é uma boa hora para comprar? Para isto existe uma série de técnicas, que ajudam a identificar as probabilidades maiores do que vai acontecer com o preço das moedas, se irão subir ou descer.

 

2º) Experiência: É o dia a dia ganhando mais conhecimento prático, conhecendo como o bitcoin e as altcoins variam e controlando as emoções.

 

3º) Investimento: Para trabalhar como trader de criptomoedas é necessário investir. Mas diferente do que muitas pessoas pensam, não é necessário ter muitos recursos para investir.

 

Você deve se perguntar: “Mas quanto é possível ganhar como trader de bitcoin/altcoins? ”

 

Primeiramente, é necessário explicar, que como qualquer investimento, é um mercado de risco. Não existe dinheiro “Garantido”. Mas, com as ferramentas e o conhecimento necessário, não existem limites, para que você possa alcançar bons retornos. A poupança oferece 0% de risco, mas te oferece 0,5% de lucro. O que a poupança rende em 1 mês, você pode alcançar em uma operação, em poucos minutos.

Algo importante que você também deve conhecer é o ritmo de trabalho de um trader.

 

O Ritmo de trabalho pode variar muito. Você pode ser um trader que opera diariamente, comprando e vendendo, ganhando aos poucos e aproveitando as oportunidades que surgem no dia a dia. Você também pode operar em períodos mais longos, ganhando valores maiores, sendo um trabalho flexível, de acordo com suas escolhas e suas estratégias, e uma boa opção para caso você já tenha um trabalho e deseja aumentar seus rendimentos.

Treinamento de Trader de Criptomoedas

Se você deseja ser um trader de bitcoin e altcoins, o primeiro passo é aprender as técnicas necessárias para o trabalho. Você aprenderá as principais técnicas para que possa ter bons rendimentos.

Por fim, se você deseja trabalhar em casa através da internet, trabalhar como trader de criptomoedas é uma excelente opção. Mas é importante lembrar que dedicação e aprendizado constante são características essenciais para o sucesso.

 

criptomoedas

Sete passos para seu dinheiro render com criptomoedas

As criptomoedas podem ser uma ótima opção de investimento. Entenda o que são as moedas virtuais e como investir com segurança nesse novo mundo.

Já se passaram dez anos desde que o bitcoin surgiu e deu início a um futuro em que as moedas não dependem de bancos centrais para existir. De 2008 para cá, dois fenômenos importantes aconteceram: a moeda se valorizou absurdamente – dos iniciais US$ 0,003, hoje 1 bitcoin vale US$ 8.185. Ainda que a cotação tenha dado saltos e tomado tombos, a tendência, em longo prazo, é de crescimento. Quando se consolidar, o bitcoin vai ser tornar um ativo tão valioso quanto o ouro – será o ouro da internet.

O outro fenômeno foi a criação de centenas de criptomoedas. Muitas delas passaram a ser usadas para projetos de financiamento coletivo, outras começaram a revolucionar dezenas de setores da economia. Ou seja: as moedas virtuais são uma tendência inovadora. E tudo nesse universo é muito novo e cheio de oportunidades.

Quer fazer parte do futuro? Então siga estes sete passos para investir com segurança.

  1. Faça a lição de casa: 

    O bitcoin continua sendo a moeda mais comercializada, mas existem muitas opções. Para escolher uma moeda virtual, pesquise seu histórico e sua cotação.

  2. Entenda a tecnologia: 

    Não entre no mundo das moedas cripto só pelo hype. Saiba como elas funcionam, pelo menos o básico – resposta curta: são baseadas em blockchains, cadeias de blocos de dados com criptografia.

  3. Programe-se:

    Investir em criptomoeda não é tão diferente de investir no mundo “real”. É preciso programar quanto você vai colocar, e por quanto tempo e com qual objetivo.

  4. Crie sua carteira digital: 

    É bastante simples abrir uma conta pessoal – em geral, basta informar alguns dados pessoais, como o número do RG, com foto.

  5. Cuide da segurança: 

    De nada adianta a plataforma ser confiável e o blockchain garantir a legitimidade das transações se você compartilhar suas senhas de acesso.

  6. Seja cauteloso: 

    Esse ainda é um mercado que oscila muito. Por isso, sair correndo na primeira baixa, ou tentar sacar o dinheiro quando a cotação subir do dia para a noite, não é nada indicado.

  7. Peça ajuda: 

    Você até pode fazer tudo isso sozinho. Mas existem no mundo, corretoras de confiança, que aumentam a segurança para o investidor e ajudam a atuar de forma eficiente e ágil. Assim você potencializa seus lucros!

Tipos de investidores e suas características

Ao decidir fazer investimentos, você deve conhecer muito bem as alternativas de aplicações e a sua atuação. Para tanto, é preciso conhecer os tipos de investidores e identificar qual deles corresponde aos seus interesses.

Ao reconhecer suas características e diferenças, será possível vislumbrar qual é o melhor caminho a seguir. Como resultado, os efeitos tendem a ser otimizados e a segurança também fica ampliada.

Independente do seu perfil, o fato é que conhecê-lo ajudará na conquista de resultados otimizados.

Conheça os tipos de investidores e entenda em qual grupo você se encaixa.

 

Características de cada perfil de investidor

Conservador: é aquele investidor que prioriza a preservação dos seus recursos acima de tudo. Não assume riscos que possam comprometer seu patrimônio, ainda que a rentabilidade seja abaixo da média. É o que menos tolera perdas e falta de liquidez.

Os extremamente conservadores preferem opções tradicionais, como investimentos na renda fixa pré-fixados ou com alta liquidez, como é o caso da poupança.

 Moderado: é o investidor que assume riscos um pouco maiores em busca de rentabilidade superior à média do mercado. Dá importância à segurança. Por isso, busca investir de forma equilibrada em diversas classes de ativos, como renda fixa, ações e fundos multimercados.

Investidores moderados toleram certo risco, como menor liquidez e perdas controladas, mas não abrem mão da preservação do seu patrimônio. Assim, os ativos de risco não ocupam uma grande porção da carteira de investimentos.

São pessoas com um pouco mais de conhecimento sobre o mercado. Elas também têm patrimônio suficiente para diversificar e objetivos de médio e longo prazo, além das metas de curto prazo. Podem destinar parte do patrimônio a ativos com maior volatilidade e menor liquidez.

Agressivo: é aquele investidor com elevado apetite ao risco, ou seja, aqueles dispostos a colocar o dinheiro em opções menos garantidas, mas que podem gerar a maior rentabilidade entre todos os casos.

O investidor agressivo tem um percentual maior da carteira em renda variável do que os moderados. Prioriza a rentabilidade do investimento.

São pessoas que, além de compreenderem o mercado financeiro, têm o desejo de multiplicar o patrimônio no longo prazo.

 

 

Quais criptomoedas comprar? Aprenda a analisar

Com o crescimento do mercado de criptomoedas, cada vez mais pessoas estão ganhando muito dinheiro e vendo valorizações astronômicas nos seus investimentos. Mas existem milhares de moedas virtuais diferentes, como saber qual delas você deve comprar? Não existe fórmula mágica, o que existe são procedimentos sensatos que quando seguidos adequadamente, podem gerar ótimos resultados.

 

Entenda a proposta da criptomoeda

Qual o problema que essa criptomoeda está se propondo a resolver? Já sabemos que o Bitcoin se propõe a resolver o problema das transações financeiras, permitindo que cada usuário seja seu próprio banco, sem depender de intermediários, é uma enorme inovação.

É fundamental entender exatamente qual o diferencial da criptomoeda que você está analisando, se existem vantagens, conceitos inovadores, e não apenas isso, mas se esses conceitos fazem sentido e têm potencial de serem utilizados massivamente no futuro.

Para conhecer a proposta, visite o site da moeda, assista os vídeos instrutivos, dê uma analisada (mesmo que seja superficial) no white paper da moeda.

 

Descubra quem é a equipe que está desenvolvendo a criptomoeda

Procure no website pelo “team” da moeda, ou seja, quem são as pessoas que estão por trás do projeto. Geralmente as criptomoedas mostram não apenas os nomes das pessoas, mas também mostram seus perfis, títulos acadêmicos, experiências, etc. Isso é muito importante! Um bom projeto precisa de uma boa equipe.

 

Considere o market cap da moeda

Market cap é o volume financeiro associado à moeda. No site Coinmarketcap você pode descobrir isso facilmente, inclusive comparando com outras criptomoedas.

Market caps grandes significam que a moeda é bastante popular, possuindo muitos investidores. Isso é um sinal positivo por um lado, afinal mostra que mais pessoas estão acreditando no projeto. Por outro lado, é um sinal negativo, pois talvez represente que a moeda tem pouco espaço para crescer e valorizar mais.

Não se iluda investindo em moedas apenas por que elas estão “baratas”. Lembre-se sempre que o mercado não é bobo, se uma moeda está barata deve ser por que não tem muito valor e você pode perder todo o seu capital. Invista primeiro em fundamentos, depois cogite o potencial. Até por que potencial é algo relativo, é possível que uma moeda que esteja em 3º lugar geral em market cap (ou seja, aparentemente já está muito valorizada) cresça ainda muito mais e supere o próprio Bitcoin. Quem irá definir isso são os fundamentos. Então coloque isso em primeiro lugar sempre.

Qual é o melhor investimento para 2018?

Poupança, Tesouro Direto, Mercado de Ações e Bitcoin… Qual é o melhor investimento?        O leque de ofertas para o investidor é muito grande e muitos dos novos investidores não tiveram ainda suficiente experiência com o mercado financeiro para tomar decisões. Este é o cenário que mais se repete e pode ser um tanto confuso para você, caso você se enquadre no perfil acima citado. Recentemente, este cenário foi feito ainda mais complexo, pois foi incluída uma nova opção: O Bitcoin, que é a mais forte dentre as moedas virtuais.

Este artigo vai ajudar você a se localizar melhor neste emaranhado de possibilidades, entender um pouco o que é relevante na tomada de decisão sobre este assunto e sugerir o que eu considero ser o mais adequado no momento pela ótica de lucratividade. Veja no segundo e terceiro parágrafo algumas dicas

 

Porque parece bicho de 7 cabeças

O primeiro e mais importante fator a se observar quando se parte do ponto acima citado, é que fazer um investimento é algo extremamente individual, ou seja, você pode obter boas orientações sobre como identificar o melhor investimento, mas no final das contas, somente você é a pessoa capaz de chegar a uma conclusão que o atenderá adequadamente.

Isto é dessa forma pois quando se faz investimento há que se lidar com perguntas como: “Como eu me comportaria diante de uma perda eminente?”, “Se esta perda vier a acontecer, como isto me afeta financeiramente e emocionalmente?”, “De quem é a culpa? Seria de quem me indicou o investimento ou seria minha?”, “Ok, o lucro é alto, mas eu de fato compreendo o risco?”, “Até que ponto eu de fato compreendo que o risco existe?”, …

Cada pessoa terá uma resposta extremamente diferente para cada uma destas perguntas e para mais tantas outras extremamente importantes para a sua melhor decisão. Além disso, o modo como cada uma dessas “variáveis” lhe impacta é algo extremamente subjectivo, portanto muito pessoal.

O que colocar na balança

A orientação dos economistas é que você comece respondendo para si próprio qual é o objetivo do seu investimento.

Exemplos de objetivos são:

  • Acumular determinado valor para comprar um carro
  • Acumular determinado valor para pagar a faculdade do filho
  • Evitar perda gerada pela inflação
  • Guardar para a sua aposentadoria

A segunda coisa é o “horizonte de investimento”. Este termo técnico nada mais é do que o tempo total que se passará desde o início do investimento até o fim. Por exemplo, se você quer comprar um determinado carro daqui a dois anos, o “horizonte” deste investimento será de dois anos. Outro exemplo: Uma pessoa de 35 anos que quer poupar para aposentar-se aos 60. Neste caso, o horizonte do investimento é 25 anos.